Total de visualizações de página

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

CFOR - 24/03


Acontece na sede do MTG em Porto Alegre no dia 24 de março o CFOR - Curso de Formação Tradicionalistas, nível básico.
Este é um curso destinado especialmente a quem exerce ou pretende exercer a função de liderança no Movimento Tradicionalista Gaúcho, sendo obrigatório para instrutores, a idade mínima 16 anos é pré requisito para a particpação.
As vagas são limitadas, não são feitas reservas, a confirmação se dá mediante comprovante de depósito e o envio do mesmo nos dados abaixo elencados.
Salienta-se que membros da patronagem de entidades tem 50% desconto na inscrição : Patrão, Capataz, Sota-Capataz e Agregado das Guaiacas, um benfício para instigar a participação destes, pois é muito importante que todos aqueles que compõe a diretoria da região ou de um CTG saibam quais são suas atribuições, conheçam o MTG e suas normas para bem desempenharem suas funções.
O sTemas e Conteúdos trabalhados são:
* História do Rio Grande do Sul
* História do Tradicionalismo Gaúcho;
* Objetivos do MTG e Estrutura Administrativa do MTG;
* Carta de Princípios;
* Gestão de pessoas: liderança, relacionamento interpessoal e gerenciamento de conflitos
O Movimento custea a todos os participantes o almoço, apostila e certificado.
 Quem desejar de matricular no curso deve ligar antes de efetuar o depósito a fim de confirmar se ainda existem vagas disponíveis. A programação começa no horário: 9h seguindo até às 18h.
O Investimento é de  R$ 35,00, depositado no Banrisul, Ag.: 0100, CC: 06.066982.0-3, em nome de Movimento Tradicionalista Gaúcho
É necessário enviar cópia do comprovante com nome completo e telefone do participante para 51 3223-5194, ou pelo e-mail: cursos@mtg.org.br.
É uma boa oportunidade de aprender mais sobre o nosso Movimento, não percam essa chance é muito importante para você e sua entidade.
O tradicionalismo precisa de pessoas capacitadas em suas frentes de trabalho!

Para pensar:

"O maior sábio é aquele que aprendeu a perdoar,
mas é, também, o que possui a humildade para confessar que é capaz de errar"

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

5º RT - Encontro regional


Acontece hoje em Santa Cruz do Sul mais um encontro regional de Patrões Prendas e Peões da 5º Região Tradicionalista, o evento ocorrerá no CTG Rincão da Alegria e como pauta principal desta reunião está a Assembléia Geral Eletiva que escolherá o coordenador desta região.
O senhor Luis Clóvis Vieira e sua equipe estão a disposição dos patrões para mais um ano de trabalho frente a coordenadoria regional, cabe agora aos patrões dizer se irão confiar neste trabalho por mais um ano.
Acredito que será reeleito por unanimidade, pois além de não ter chapa concorrente vem fazendo um excelente trabalho nessa região.
O encontro está marcado para as 20h com a primeira chamada, a região conta com a presença de todos!
 

LOUVÁVEIS INICIATIVAS

Louváveis inciativas devem ser valorizadas, por isso quero registrar minha admiração a este grupo de jovens MJC, Movimento Jovem Católico da diocese de Cachoeira do Sul, do qual faço parte com muito orgulho.
São gaúchos desprovidos de bombachas em suas atividades, mas possuem muito amor pelos filhos desta terra, são pessoas preocupadas com o seu próximo acreditando na missão de fazer a felicidade dos outros para encontrar sua própria felicidade, conhecer Deus para se apaixonar por ele e por esta missão, por isso o o lema deste Movimento é "Conhecer para se Apaixonar", eu me apaixonei por esta causa, tanto quanto sempre fui apaixonada pela causa tradicionalista e com o mesmo empenho venho participando desde o ano de 2006 quando fiz o X retiro do MJC.
O grupo realizou no dia 24 de dezembro de 2011, na cidade de Cachoeira, a distribuição de mais 1.500 brinquedos às crianças carentes dos Bairros Cristo Rei, Promorar, Funcap, Universitário e Coahb.
Tenho a certeza de que todos os momentos desde a arrecadação de valores e brinquedos nas diversas promoções até a entrega foram tão especiais para nós, quanto para aqueles que receberam.
Quatro horas e meia de carriata que incluiram a distribuição de bolas para as crianças que estavam no centro da cidade, um momento para ser registrado com alegria e também um momento ao qual devemos a Comunida Cachoeirense, pois se não fosse a adesão em massa daqueles que fizeram doações nada disso seria possível.
Que muitas ações como essa comece a ser hábito frequente em nosso estado e que sá, possam tornar-se também tradição do nosso povo, que já é o mais hospitaleiro, porque, também, não ser o mais caridoso, bons valores passados de geração em geração, que esta mensagem se perpetue!
Confira os melhores momentos desta ação!

Alguns do jovens que participaram da arrecadação e doação.


Até quem não era mais criança não resistiu a esse Paipai Noel tão atencioso.
Obrigada Antônio.

Foi preciso a Comb (Mimosa) e mais duas camionetes para levar todos os presentes.

A carriata pelo Bairro Promorar...

Entrega de Presentes no Bairro Cristo Rei.

Paipai Noel com seus ajudantes fazendo a alegria das meninas...

Crianças do Bairro Promorar correndo em direção a carriata do Papai Noel.

Bairro Cristo Rei.

As crianças fizeram filas enormes na espera de realizar o seu pedido.

Muitos jovens ajudaram os dois Papais Noeis a distribuir os presentes.

Momento de felicidade e descontração durante a carriata pela cidade.

Todos que estavam na fila foram contemplados graça a boa ação dos doadores!

Há coisa melhor do que ver uma criança feliz?
Para nós não há presente melhor que este no Natal, vamos todos os anos refletir esta data como ela realmente deve ser e não como a mídia costuma pregar!
Um Natal tem que ser feliz para todos, de que adianta mesa farta e muitos presentes em nossas casas se outras pessoas não tem o mesmo.
Para celebrar a vinda de Jesus só espalhando um pouco do amor que ele nos deixou!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Proposição 59º CT - Prendas e Peões do RS


Confiram a proposição aprovada pelas Prendas e Peões do RS no 59º Congresso Tradicionalista!
Um idéia a qual devemos crédito ao nosso padrinho Marcelo que logo depois da primeira reunião foi pensada com carinho e após a discussão e a elaboração do raciocínio do grupo sobre a mesma, tive a oportunidade de levá-la ao papel e com os olhos atentos da colega (Nega) Joelma Pauline pudemos aprimorar nosso texto, o qual tomou forma sob a responsabilidade de todo o grupo estadual!
Com responsabilidade, de quem sabe o que precisa fazer para chegar onde se quer, lutamos, expomos nosso pensamento sobre o papel da juventude no seio tradicionalista e fomos reconhecidos, finalmente!
Sim, nós sabemos que este é o primeiro pequeno passo dado frente a conquista de nosso espaço na sociedade gaúcha e tradicionalista, temos a certeza que esta contribuição, embora, limitada vai alavancar as oportunidades para os nossos sucessores. Outrossim, sabemos que esta iniciativa não abarcará nenhuma contribuição imediata, nem mesmo para a própria atuação da gestão atual, pois quando a 1º Prenda e o Peão Farroupilha forem votar representando a opinião da juventude tradicionalista, nosso tempo já terá passado, nossa presença será dispensável e muitos nem lembrarão como foi que chegamos a esta vitória, mas ninguém esquecerá do mais importante, que essa participação representa um grito, o qual prenunciará o estopim de uma revolução, pacífica, mas uma revolução da sociedade que mantém seus valores sem preconceitos que põem em dúvida a conduta, o caráter e a capacidade de um jovem de decidir o que é melhor para um futuro que é seu por direito! É errando que se aprende, mas é a vontade de melhorar o mundo que faz do jovens plenamente capazes de arcar com suas próprias responsabilidades!


MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO
59º CONGRESSO TRADICIONALISTA – PELOTAS/RS
PRENDAS E PEÕES DO RS GESTÃO 2011/2012



DO DIREITO AO VOTO NA CONVENÇÃO TRADICIONALISTA AOS REPRESENTANTES DAS PRENDAS E PEÕES DO RIO GRANDE DO SUL



I - OBJETIVO:

Observados os itens da Carta de Princípios bem como o Plano de Ação Social do MTG, o qual coloca a atenção especial as novas gerações como prioridade do nosso Movimento e por fim aos objetivos do presente evento, as Prendas e Peões do Rio Grande do Sul, gestão 2011/2012, propõe a inclusão no Estatuto do MTG, bem como em seu Regulamento Geral a participação com votos validos da 1º Prenda e do 1º Peão Farroupilha do Rio Grande do Sul a fim de que se tenha na plenária, representações de todos os seguimentos do nosso Movimento organizado, em especial a representação dos jovens e de seus interesses.


I – JUSTIFICATIVA:

O Movimento Tradicionalista Gaúcho é uma entidade que visa congregar os tradicionalistas e através deles, disseminar princípios e valores morais que o gaúcho mantém impregnado em suas tradições. Preservando o núcleo da formação gaúcha e a filosofia do tradicionalismo gaúcho, decorrentes de sua Carta de Princípios e expressas nas decisões dos Congressos.
É de conhecimento geral que o tradicionalismo organizado foi idealizado por um grupo de jovens, os quais não se deixaram abater diante das dificuldades e instituíram o maior movimento sócio-cívico-cultural do mundo, divulgando nossa cultura e tradição nos mais longínquos rincões.
Estes moços iluminados contribuíram ativamente para as bases estruturais, normativas e filosóficas do Movimento, fornecendo inúmeras teses e documentos basilares que solidificaram ainda mais os alicerces deste, que se tornou mais que um movimento, uma direção a ser seguida, uma filosofia de vida.
Em análise as duas Teses máximas de nosso Movimento “O Sentido e o Valor do Tradicionalismo”, de Barbosa Lessa e “O Sentido e o Alcance Social do Tradicionalismo”, de Jarbas Lima, concluímos que é possível sintetizá-las em “o sentido e o dever do tradicionalista”.
Na vida humana, a sociedade – mais que o indivíduo – construiu a principal força na luta pela existência, mas para que o grupo social funcione como unidade é necessário que os indivíduos que os compõem possuam modos de agir e pensar coletivamente. O principal objetivo do MTG é combater o enfraquecimento do grupo local, o valor da tradição gaúcha se afirma promovendo a tradição gaúcha.
O tradicionalismo constrói para o futuro, sendo ele um movimento popular. Nesse sentido, destacamos as duas questões do tradicionalismo, que são a atenção ao homem do campo e a atenção especial às novas gerações, ponto em que iremos concentrar a nossa justificativa.

Deve, o Tradicionalismo, operar com intensidade no setor infantil ou educacional, para que o movimento tradicionalista não desapareça com a nossa geração. Porque nós - os tradicionalistas de primeira arrancada - entramos para os Centros de Tradições Gaúchas movidos pela necessidade psicológica de encontrar o "grupo local" que havíamos perdido ou que temíamos perder. Mas as gerações novas não chegaram a conhecer o grupo local como unidade social autêntica, e somente seguirão nossos passos por força de impulsos que a educação lhes ministrar. Por isso não temo afirmar que o dia mais glorioso para o movimento tradicionalista será aquele em que a classe de Professores Primários do Rio Grande do Sul - consciente do sentido profundo desse gesto, e não por simples atitude de simpatia - oferecer seu decisivo apoio a esta campanha cultural. Aliás, não se concebe que as Escolas Primárias continuem por mais tempo apartadas do movimento tradicionalista. Pois a maneira mais segura de garantir à criança o seu ajustamento à sociedade é precisamente fazer com que ela receba, de modo intensivo, aquela massa de hábitos, valores, associações e reações emocionais - o patrimônio tradicional, em suma - imprescindíveis para que o indivíduo se integre eficientemente na cultura comum (Fragmento da Tese “O Sentido e o Valor do Tradicionalismo de Luiz Carlos Barbosa Lessa).

Outra Tese, também de grande relevância para o Movimento, é “Tradicionalismo e as Novas Gerações” de Thereza Almeida, a qual afirma que o alicerce do tradicionalismo está, principalmente, na infância de hoje. Que os pais devem transmitir as gerações vindouras o conceito do tradicionalismo, as experiências do nosso culto gauchesco, a fim de que o nosso movimento de amor a terra nata prossiga, em farta colheita.
A cerca do 8º Congresso Tradicionalista, realizado em Taquara, onde foi aprovada a Carta de Princípios do Movimento Tradicionalista Gaúcho, o senhor Manoelito Carlos Savaris, atual presidente da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, faz as seguintes colocações:

Analisando as propostas apresentadas vemos quatro grandes preocupações: O que fazer da tradição nos Centros de Tradições Gaúchas, a posição pró-ativa diante de questões sociais e do folclore do homem sul-rio-grandense e, finalmente, o estabelecimento de uma base ideológica para o Movimento (Fragmento da Introdução do livro “50 Anos da Carta de princípios e 8º Congresso Tradicionalista”, redigida por Manoelito Carlos Savaris, Presidente da CBTG).

Em análise as referências acima, observamos que o Movimento Tradicionalista desde o início, demonstrou uma preocupação especial com as novas gerações, com a juventude tradicionalista. O mesmo foi idealizado por jovens, os quais sempre tiveram a preocupação com a continuidade do Movimento, sendo que para tanto a presença de novos jovens é de suma importância.
Os cargos de Prenda e Peão do RS foram criados com o objetivo de formar jovens capazes de representar as virtudes que melhor caracterizem o povo gaúcho, mas também, são cargos atribuídos aos promissores líderes de nosso Movimento, nos quais se vislumbra a brilhante capacidade de agregar ao tradicionalismo como um todo.
Com efeito, se sabe que as Prendas e Peões do RS representam em sua totalidade, a figura e os interesses de todas as prendas e peões dos quatro cantos de nosso Estado, das trinta Regiões Tradicionalistas, buscando evidenciar de forma expressiva o gosto dos demais jovens pela causa tradicionalista, emanados de um forte espírito associativo, o qual provém da participação ativa e colaboradora que desenvolvem ao longo de suas atividades nas entidades, regiões e no estado.
Salienta-se, que o papel do jovem tradicionalista, vai além de elaborar projetos e representar a tradição, mas também de ajudar a disseminá-la ao gosto dos demais, ajudando a tomar as decisões que farão parte da estrutura de nosso movimento para o futuro, pois é notório o entendimento de que, são as Prendas e Peões de hoje os futuros líderes de nosso amanhã.
Analisando a juventude como o futuro do tradicionalismo, nota-se que esta proposição possibilitará a aprendizagem desses futuros líderes, uma vez que apesar do conhecimento adquirido através dos estudos, os falta a experiência de quem vivenciou a teoria estudada na prática. Desse modo, formaremos tradicionalistas conscientes e experientes, evitando possíveis erros pela falta da prática, além de promover o entrosamento entre todas as gerações, que também é objetivo do Movimento Tradicionalista Gaúcho.
Nesse sentido, devemos seguir os passos de nossos pioneiros, destinando uma atenção especial às novas gerações, oportunizando a prática de ações que os tornem verdadeiramente lideranças tradicionalistas, uma vez que terão o conhecimento e a experiência para tanto.
Dessa forma, a oportunidade ao voto, conferida a 1º Prenda e ao 1º Peão Farroupilha do RS na sessão plenária da Convenção Tradicionalista, fará valer, além do direito daqueles que se preocupam consideravelmente com a causa e os rumos que ela tomará, mas também dará voz aos jovens e a oportunidade de manifestar suas idéias e preocupações, mais do que isso, fará com que sejam realmente parte ativa e colaborada, fortalecendo as raízes da tradição.
Afinal, o tradicionalismo deve se perpetuar de forma a agregar as novas gerações, além de acompanhar a evolução da sociedade, para isso a opinião dos jovens promissores é indispensável, os quais juntamente com os tradicionalistas veteranos, poderão contribuir grandemente para com o Movimento Organizado.
Dessa forma, a presente proposição visa, através da Gestão 2011/2012 de Prendas e Peões do RS, o direito ao voto na plenária da Convenção Tradicionalista, bem como para que seja acrescido ao art. 37 do Estatuto, no que tange a composição da Convenção Tradicionalista a seguinte nomenclatura:
a 1º Prenda do RS e o 1º Peão Farroupilha do RS e, ou na falta destes, os seus sucessores”.
Outrossim, conforme dispõe o art. 36 do Estatuto do Movimento Tradicionalista Gaúcho em sua obra Coletânea da Legislação Tradicionalista, o Congresso Tradicionalista é um órgão que reforma o Estatuto do MTG, além de exercer as demais atribuições previstas no regulamento geral do MTG.



II – DO PEDIDO:

Diante o exposto, a tese acima referida postula que a 1º Prenda do RS (representando toda a gestão de prendas) e, na ausência desta as suas sucessoras, bem como o Peão Farroupilha do RS (representando toda a gestão de peões) e, na falta deste os seus sucessores, tenham direito a voto na plenária da Convenção Tradicionalista a fim de exercer o direito que é conferido de participar das decisões sobre o futuro do Movimento Tradicionalista Gaúcho.


Porto Alegre, 06 de dezembro de 2012.


Prendas e Peões do Rio Grande do Sul - 2011/2012:

Joelma Pauline Schmohl Meotti – 1ª Prenda
Muriel Machado Lopes – 2ª Prenda
Maira Simões Rodrigues – 3ª Prenda

Douglas William de Quadros da Silva – Peão Farroupilha
Rodrigo de Oliveira Schneider – Peão Destaque Campeiro
Luiz Antônio Pereira Machado Junior – Peão Destaque Artístico-Cultural

Natana Gengnagel – 1ª Prenda Juvenil
Janaina Matiello – 2ª Prenda Juvenil
Indiana Tedesco Saugo – 3ª Prenda Juvenil

Lourenço de Oliveira Nunes – Guri Farroupilha
Lucas Peres Amaral da Rosa – Guri Destaque Campeiro
Nathan Santos Rolim – Guri Destaque Artístico-Cultural

Alexia Trento – 1ª Prenda Mirim
Dayala MarinaUbessi Streit – 2ª Prenda Mirim
Raiza Rohrig Martins – 3ª Prenda Mirim
Referências Bibliográficas:


CÔRTES, João Carlos Paixão. Origem da Semana Farroupilha Primórdios do Movimento Tradicionalista. Porto Alegre/RS: 1994.

FAGUNDES, Antonio Augusto. Curso de Tradicionalismo Gaúcho. Porto Alegre/RS: Martins Livreiro, 2002, 4ª edição.

FERREIRA, Cyro Dutra. 35 CTG - O Pioneiro do Movimento Tradicionalista Gaúcho - MTG. Porto Alegre/RS: 35 CTG, 4ª edição.

LIMA, Jarbas. Tradicionalismo... Responsabilidade Social – Reflexões. Porto Alegre: Movimento Tradicionalista Gaúcho: 2004.

LAMBERTY, Salvador Ferrando. ABC do Tradicionalismo Gaúcho. Porto Alegre: Martins Livreiro. Ed., 1989.

MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO. Coletânea da Legislação Tradicionalista. Porto Alegre/RS: 2010, 8ª edição.

MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO. Coletânea da Legislação Tradicionalista – Volume 2. Porto Alegre/RS: 2000.

MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO. Meio Século de Congressos (1954-2004) – Documentos Basilares do Tradicionalismo Gaúcho – Anais do 50º Congresso Tradicionalista Gaúcho. Paulo Roberto de Fraga Cirne, organizador. Porto Alegre/RS: 2004.

MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO. MTG 40 Anos: Raiz, tradição e futuro -1966-2006. Paulo Roberto de Fraga Cirne, pesquisa e texto base. Porto Alegre/RS: 2006.

MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO. 5º Anos de Carta de Princípios e 8º Congresso Tradicionalista . Coordenação Ediorial: Manoelito Carlos Savaris e José Roberto Fischborn. Porto Alegre/RS: 2000.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Prova Artística 41º Ciranda - Muriel



Caros amigos, muitos foram os pedidos para que eu enviasse o vídeo da artística que elaborei para a 41º Ciranda Cultural de Prendas em Passo Fundo, momento este, que considero único, dotado de vários sentimentos, os quais jamais poderão ser descritos, mas poderei então deixar aqui o esboço daquilo que preparei com carinho.
Os versos que passei dias e dias compondo cautelosamente para que pudesse, com eles, dizer quem sou, de onde venho, o que acredito e amor que tenho pelas pessoas que me legaram o hábito de ser tradicionalista.
E com essa postagem quero iniciar ajudando, oferecendo algumas informações importantes para as prendas e peões que gostam do meu trabalho, a partir de minha própria experiência.
Porém, quero esclarecer que nada que for dito aqui serve como lição de sucesso ou como receita infalível, é apenas as declarações de quem viveu e pagou pra ver o que ia acontecer consigo mesmo a partir de suas próprias escolhas, pois não existe receita de sucesso, existem apenas histórias de caminhos percorridos com sucesso até chegar a vitória, mas isso não quer dizer que eles não tenham sido difíceis.
Fica a dica: A primeira coisa que pensei quando resolvi montar minha artística é que gostaria de fazer algo diferenciado, sem perder a essência, mas sendo, ao mesmo tempo, eu mesma e superando meus limites. Então eu não me vali de frases feitas, como muitos pensaram, nem de versos prontos, pois ao longo do caminho vamos aos poucos conhecendo-nos e permitindo-nos acreditar que limites foram feitos para serem superados.
Eu preferi compor meus próprios versos e entrar declamando porque esta é a minha arte, depois saudei todos muito formalmente, porque é assim que acredito que devemos nos reportar quando queremos que as pessoas dêem créditos àquilo que falamos. Introduzi meu discurso enfatizando as mulheres (um tema comum, mas com um diferencial), falei das mulheres da minha família que eram o grande motivo de eu estar ali naquele momento, falei das minhas raízes campeiras, do meu trabalho, da profissão que escolhi, pois acredito naquele ditado "me diga com quem andas, que te direi quem és", depois falei sobre o tema: Traje da mulher gaúcha não é folclórico, dizem os pesquisadores. Admito que ao sortear tal tema, não sei qual emoção tomou conta de mim, se foi de felicidade por estar dentro do contexto de toda a minha prova ou se foi de pavor, por conta da complexidade. Todos na volta estavam pasmados com o tema, na verdade, não sabiam o que dizer. Então, eu preferi ficar sozinha, não pensem que foi uma atitude egocêntrica, jamais, mas a concentração naquele momento e, principalmente, a reflexão de tudo aquilo que eu havia estudado era extremamente importante. Não pensem que ao sortear o tema vocês saberão tudo sobre ele, mas com tudo que vão aprender nessa caminhada do tradicionalismo poderão sim, formar uma opinião, e explorá-la, permitir-se, dar-se a chance de pensar e de reconhecer que você se preparou para aquele momento. Você é o protagonista daquele momento, você é o protagonista de sua própria história e cabe somente a ti escolher ter sucesso ou se acovardar diante dos desafios, e se auto-intitular derrotado sem ao menos completar a sua tarefa. Ouvi dizer, provei e hoje eu mesma digo que as dificuldades tornam as vitórias mais saborosas e ensina às pessoas aquilo que elas ainda precisam aprender.
Eu arrisquei muito com essa prova, mas a vida é feita de grandes riscos, faz parte e se você não arriscar nunca saberá se vai dar certo ou mesmo terá o prazer de saborear o sucesso de seu desprendimento.
Você é capaz de se surpreender, faça isso e prepare-se para vencer!
(Na proxima postagem colacarei a íntegra da artística). 

Poema feito para o ENART - Palco da Vida

Este foi o poema que elaborei para a apresentação das Prendas e Peões do RS no Tcheencontro Estadual da Juventude, foi a maneira que encontramos de eu estar presente, pois no mesmo dia tinha um compromisso inadiável com o MJC - Momento Jóvem Católico de Cachoeira do Sul, o qual participo ativamente desde 2006. Com este poema, tive a certeza de que estaria de alma e coração junto aos amigos que estavam no evento e, também, estendendo uma paequena contribuição daquilo que acredito. O ENART já realizou o sonho de muitas pessoas e contou histórias de muitas vidas e, por muitas vezes foi a VIDA de seus participantes, por isso a escolha do nome para intitular este poema. Espero que gostem. Abraços.



Palco da Vida
(Tributo ao maior dos festivais – ENART)
 
Voa coração, voa longe pra ganhar a imensidão...
Vai buscar largos sorrisos, olhos ardentes, fibra e coragem
Estampada na roupagem de outrora...
Vai buscar a inspiração do poeta
E, do artista, a interpretação...
Da platéia, não esqueça, traz aquele calor da emoção!
Palmas, coreografias ensaiadas, gritos de sapucai,
Abraços de mãe e pai... Tudo isso... Não esqueça!
Pois são parte do grande espetáculo daquele palco da vida,
São histórias repetidas dos amantes de nossa arte!

Oh... Vida guapa de gaúcho que ama o que é seu de verdade!
Não temendo os rudes percalços honrando a estirpe farrapa,
E cada etapa, é como transceder uma linha imaginária,
Onde o mais importante, é em si mesmo, acreditar...
Fazendo do céu o limite pra quem não desiste de sonhar!

Quantas historias por ali já passaram, quantos amores,
Quantas guerras, quanto sonhos se cruzaram...

A paixão do guerreiro, o ódio de Francisco Libório o filho do Patrão,
A guerra incontida dos farroupilhas e a casa de suas sete mulheres,
Lembro bem, do negrinho do pastoreio e,
Da Teniaguá "El diabo" dos campeiros,
Tem também, os birivas, tropeiros
E os negros, grande charqueadores,
Os indios pampeanos, tauras boleadores,
E aqueles que não podemos esquecer,
Os pioneiros fundadores da nossa tradição,
Barbosa Lessa e o Paixão,
Coreografias vivas naquele salão!

Lendas, cantigas, histórias mal resolvidas,
Vidas e Vidas contadas pelos pés calejados,
Pelas mãos hábeis, rudes ou delicadas,
De homens e mulheres imbuídos de todo o seu coração,
Que, ensaiam dia e noite, abandonando o seu ser...
Para dar lugar ao artista, que da tradição, quer viver...!

Tudo se passa em vinte minutos
É muito pouco tempo para um sonho viver
Mas, a arte gaúcha é grande de mais pra esquecer!
Dizia o poeta que cantava o amor por este ideal,
Um grande festival de emoções que viu agente nascer,
Vinte minutos aproveitados a cada segundo...
Vinte e seis anos de história para jamais se perder!

Eis que, de repente, em meio ao tumulto,
Vejo as cancelas se abrirem num abraço fraterno,
Como o desencadear de forte emoção,
O artista que me envolve, fala de manso,
No rosto levando a mão:
- Olhe...
Não repares!
Esta lágrima que teimou em rolar, é que o Patrão lá do céu,
Que reuniu os gaúchos neste lugar, esqueceu de me contar,
Que aqui, nenhum vivente de carne e osso,
volta pra’s casa sem se emcionar,
E que tradicionalista que se preze,
Não pode ter vergonha de chorar!

E mais uma vez a minh’alma se invade de emoção...
E o sonho que nasceu mirim ganhou asas na ponta do coração...
É o encontro da arte e da tradição gaúcha...é o ENART...
Que se tornou poema e canção!

É um sentimento de missão cumprida
Que que faz meus olhos marejar,
E relembrando tantos momentos, naquele palco da vida,
Permanesce só uma certeza:
- Que nós tradicionários, na disputa de igual pra igual,
vivemos um sonho bueno e bagual!
Hoje ENART ontem FEGART e Mobral,
O sonho que um dia foi de nossos pais,
Hoje é o nosso ideal!

Tudo se passa em três desdobrar de auroras,
É, certamente, tão pouco tempo para um sonho viver,
Mas todos nós, juntos, não vamos deixar esmorecer!
Venham todos, declamadores, dançarinos, chuliadores,
Venham instrumentistas, intérpretes e trovadores...!
É este mesmo sentimento que inunda cada ser,
Que naquela arquibancada faz um sonho pequeno,
Grande parecer...

Sentimento bueno, que traz os gaúchos
Dos quatro cantos, numa mesma direção
Pra mostrar a Nação toda cultura sulina
E Santa Cruz se inlumina
Pra receber sem iguais
No maior dos festivais da américa latina!

Ah... Eu sou gaúcho!
É o grito ovassionado de quem se prosta feito palanque
Naquela arquibancada da vida,
E completa o coração dizendo:
- E isso me basta pra ser feliz!











 
Muriel Machado Lopes
2º Prenda do RS

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012




"Em cada disputa, um momento para confraternizar"


Em 2012, em 2000 e muitos que tenhamos sempre um momento bom para confraternizar com nossos amigos tradicionalistas durante as várias competições em que participamos.
Essa era a proposta memorável da Sra. Odila Savaris, a qual tive o prazer de "tchacolar" (como uma autêntica italiana gosta de dizer), sobre o tema escolhido por ela, para ser proposto durante o 59º Congresso Tradicionalista em Pelotas.
Quero aqui registrar meu carinho, meu agradecimento e reconhecimento à esta grande mulher que muito contribui para o desenvolvimento do Movimento Tradicionalista Gaúcho.
Sua proposta, embora também exprimisse uma grande necessidade do movimento, deu lugar aquilo que, talvez, o tradicionalismo mais necessitasse atualmente, dar atenção especial às nossas entidades e ajudá-las a se reerguer abraçando nossa família tradicionalista.
No entanto, não iremos esquecer da rica contribuição que este tema pode nos legar, pois é visível em muitas atividades em que competimos entre entidades ou individualmente que o verdadeiro sentido de estarmos ali está se perdendo.
Poucas são as pessoas que conseguem administrar uma disputa saudável, sabendo separar a amizade da concorrência, esquecendo-se que a verdadeira causa de estar ali é a a perpetuação das nosas tradições e não a busca da satisfação pessoal.
Nesse sentido, observemos o que nos diz a Carta de Princípios em seu inciso 12: Evitar todas as formas de vaidade e personalismo. Este ítem, no faz  entender que o objetivo do Movimento não é promoção de pessoas ou entidades com fulcro em "ser", ser o grupo que mais ganhou no ENART, ser peão do estado, ou ser a melhor das prendas do estado, ser campeão de chula, ser, ser, ser...
 o mundo está voltado para o "ser" e as pessoas acabam por esquecerem de onde vieram e quem já se tornaram na busca incessante por ser, ser algo mais, ser algo almejado por todos, ser popular, ser o foco, o centro das atenções.
E onde fica a razão, a causa, o verdadeiro propósito de cultivar nossas tradições?



As disputas foram feitas para aperfeiçoar a capacidade das pessoas e tornar mais atraente e ao mesmo tempo dar mais qualidade a uma atividade.
Porém, disputar não significa vencer sempre, disputar também pode significar confraternizar e aprender com essa disputa, aprender com os erros e com os acertos e, mais do que isso, usar de tudo aquilo que uma disputa saudável pode nos fornecer para tornarmos melhores naquilo que sabemos fazer.
Ao longo desses muitos anos no tradicionalismo, disputei muitas vezes e em várias áreas, mas nem sempre venci. Porém, em todas elas pude adquirir amizades de uma vida, experiências que me levaram a escolha da minha profissão e um aprendizado que me fez buscar pelo melhor que existe em mim como prenda, como dançarina, declamadora, professora e acima de tudo como ser humano.
Neste ultimo ano, disputei, aprendi e vivi e quando achei que perdia, ganhei e como todos as pessoas, com sentimentos perfeitamente humanizados, por vezes, até me culpei, mas um dia parei e me perguntei:
"O que me levou a participar do tradicionalismo?"
Então, comecei a lembrar da minha família e quantos amigos e quantos momentos bons nós todos vivemos na alegria de participar de uma entidade. Lembrei de quando começamos nos rodeios campeiros, onde todos laçavam não importando se eram bons ou ruins, novos ou velhos, o que importava era estar junto com os amigos e com a família, fazendo de um laço um sonho, um sonho para não mais acordar.
E quando me vinham momentos difíceis, lembrei do Vô que sempre diz "dia à dia as coisas melhoram, minha filha", lembrei da mãe que sempre me apoiou e nunca me deixou dexistir e muito menos me incentivou a ser arredia com meus concorrentes, pelo contrário, muitos foram os grandes concorrentes que se tornaram maiores amigos meus.
E, ainda, lembrei da Vó que comemorava com todas as minhas vitórias, me doando o melhor abraço do mundo e os  parabéns, mesmo quando eu voltava sem prêmios para casa.
Não pude esquecer das várias invernadas, as quais participei, mas uma em especial chamada "Os tangarás", jovens e experientes dançarinos reunidos pelo amor a dança, os quais vinham bagunçando na volta pra's casa mesmo sem galgar premiações e recordei do meu "Gaudério", que traz por lema um sentimento que faz amar, bonito sentimento, que nos reúne até hoje, baixando a cabeça e enfrentando o recomeço, mas nunca esquecendo porque estamos reunidos.
E depois de lembrar de todos esses momentos, posso concluir que é um amor maior que faz as pessoas se unirem na dança, formarem amigos na declamação, na chula, no intérprete, em qualquer modalidade.
 É esse amor que não podemos deixar se apagar pela sede da vitória.
Em 2012 e para sempre, que tenhamos humildade e respeito pela vontade de vencer de cada um, mas que jamais passemos por cima dos nossos amigos e companheiros de causa para alcançar nossos próprios objetivos, antes de qualquer coisa somos irmãos por parte de Deus e se ele nos uniu, quem somos nós para desfazer a vontade do Patrão das alturas?!
Um abraço especial a minha amiga Luna Conrad a terna prenda que o Rio Grande escolheu e que Deus me deu o pazer de compartilhar de sua companhia desde a 36º Ciranda Cultural de Prendas em Santo Ângelo (2006), na categoria juvenil, e, também, a Juliana Oliveira que nesta mesma oportunidade pude conhecer como amiga querida que és.
Depois, posso citar minha célebre parceira dos palcos da declamação Julia Graziela Azambuja, todo o meu carinho para esta expoente da poesia gaúcha.
E por fim, não menos importantes, os Negos (Prendas e Peões do RS), os quais formam o grupo mais exemplar de que a disputa pode unir as pessoas por uma vida, mesmo que elas sejam diferentes!




Tema Anual do MTG - 2012

"Abrace sua família Tradicionalista"

Além do objetivo quinquenal do MTG foi também escolhido durante o 59º Congrasso em pelotas, o tema anual que irá reger as atividades dos tradicionalistas durante o ano de 2012.
A disputa foi acirrada, o que é muito importante para o Movuimento, pois demosntra que muitas pessoas estão preocpadas com futuro do tradicionalismo organizado. Os debates demostraram que todos aqueles engajados em aprovar a proposição que mais se encaixava na necessidade da sociedade eram componentes inteligente e extremamente comprometidos.
Além do tema aprovado, também foram apresentadas as proposições "Em cada disputa, que tenhamos um momento para confraternizar", de autoria de Odila Paese Savaris, e "Inclusão Global" de autoria da colega de gestão Maira Rodrigues - 3º Prenda do RS. Ambos os temas que, por hora, não foram escolhidos como foco de trabalho no movimento são importantíssimos e merecem a nossa atenção.
Em outra postagem irei discorrer sobre os temas apresentados e também deixarei algumas sugestões, além daquelas proposta pelo autor, para trabalharem o tem anual deste ano, pois ele é muito sugestivo e merece nossa atenção, como nunca, por hora confiram objetivo anual aprovado!


"Vamos abraçar a nossa familia tradicionalista...
Com o objetivo de resgatar o que esta se perdendo na maioria das entidades, estamos
propondo no 59º Congresso, para ser o tema anual do MTG/2012 - "ABRACE A SUA
FAMILIA TRADICIONALISTA".
Nossas entidades na grande maioria, estão resumidas a poucas pessoas atuantes e com
isso estão esquecendo de promover, de incentivar e principalente manter o espirito
familiar que sempre norteou o movimento tradicionalista gaúcho.
Proposta para o 59º Congresso Tradicionalista
Objetivo anual do MTG para 2012.
“ABRACE A SUA FAMILIA TRADICIONALISTA”
Justificativa:
O Movimento Tradicionalista Gaúcho, através de sua Federação – MTG vem
trabalhando nos últimos anos vários objetivos anuais voltados para preservação da
Cultura, dos valores e dos usos e costumes do povo e do tradicionalismo gaúcho, porem
apesar de muito temos conseguido, com o auxílio principalmente de Prendas e Peões,
que ao receberem tarefas voltadas para o objetivo anual, dedicam-se incansavelmente
para alcançarem este objetivo nas suas regiões e entidades, ainda estamos vivenciando a
maioria das entidades tradicionalistas com sérios problemas para manterem seus
quadros sociais atuantes e conseqüentemente o seu esvaziamento, muitas apenas
vivendo um Quadro de Laço, ou uma Invernada Artística. E estas pequenas atividades,
voltadas para competição, muito mais do que para confraternização, estão deixando de
lado nos nossos CTGs um dos princípios mais importantes da existência do Movimento
Tradicionalista, a FAMILIA e sua manutenção. Para isso as entidades devem através de
ações objetivas valorizarem e oportunizarem aos sócios e freqüentadores que todos
possam ser parte desta grande família gaúcha, que é a “Família Tradicionalista”.
Sendo assim, estamos vivendo momentos de despreocupação com esta que deve ser o
centro das atenções de toda entidade tradicionalista. Desta forma estaremos sempre
seguindo o que nos direciona para um movimento cada vez maior e mais saudável, e a
participação do MTG é primordial para ajudar neste resgate de valores incentivando
todas as entidades a “abraçarem as suas famílias tradicionalista”.
Que 2012, seja um ano voltado para este objetivo, resgatar o que temos de mais
precioso enquanto membros de uma sociedade, a FAMILIA, e a nossa Família
Tradicionalista, deve estar presente e valorizada nesta sociedade global.
Hélio dos Santos Ferreira


sexta-feira, 20 de janeiro de 2012


Tema Quinquenal do MTG

O MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO ENGAJADO NA CAMPANHA DE
COMBATE À CORRUPÇÃO


Como primeira postagem, de ordem informativa, divulgo o Tema Quiquenal do MTG, aprovado no 59º Congresso Tradicionalista, na cidade de Pelotas em janeiro do corrente ano.
A escolha deste tema demonstra a preocupação do movimento com a sociedade gaúcha e brasileira.
Uma célebre escolha, da qual sou plenamente a favor.
Porém, muito embora seja esta uma nobre iniciativa, o Combate a Corrupção é um processo gradativo de retomada de consciência, a qual jamais poderia ter sido escolhida como tema anual frente a sua complexidade.
De outra banda, salienta-se que, mesmo sendo este um tema que levará tempo para se aglutinar aos pensamentos da sociedade gaúcha, é preciso um dia tomar a frente e dar o primeiro passo.
A Carta de Princípios de Glaucus Saraiva, orienta os tradicionalistas para agirem em defesa de seus valores, em beneficio da coletividade e para entender o que nos diz o autor não basta apenas analisar este documento de forma objetiva, é preciso compreender a subjetividade de suas orientações para realizar com dignidade e comprometimento a tarefa, digna e honrosa de ser tradicionalista pleno, que nada mais é do que ser membro colaborador e ativo do Movimento Tradicionalista Gaúcho.
Saliento, que não é apenas uma missão que deva ser desempenhada pelo atual presidente do MTG ou seus futuros sucessores e suas equipes, mas de todos nós, membros de uma sociedade democrática, no qual temos força através da união de nossos interesses frente a preservação das tradições e representamos uma frente de trabalho ativa e de cunho social, significativo, influenciando a vida e a opinião de muitas pessoas.
O Movimento não participa das frentes polítcas, mas pode agir politicamente em benefício de seus interesses e em favor da COLETIVIDADE!
Avante tradicionalistas, avante sociedade sulina, em frente bancada gaúcha, todos nós, juntos, podemos levantar essa Bandeira e construir um RS melhor para todos os Gaúchos!


DESENVOLVIMENTO DO TEMA APROVADO

Tema: Justificativa:
Desde o mês de setembro deste ano de 2011 , quando o Movimento Tradicionalista
Gaúcho do Estado do RS firmou convênio junto ao ministério público Federal , engajandose
de forma oficial na campanha de combate à corrupção , todas as ações desenvolvidas pelas
entidades tradicionalistas em nosso estado e também fora dele na preservação de nossos
valores , ganharam uma importância ainda maior , pois passaram a ter o reconhecimento
oficial por um trabalho que se realiza desde que o tradicionalismo gaúcho organizado existe.
No ano em que nossa carta de princípios completa 50 anos , e permanece
completamente atualizada , é importante tal reconhecimento , pois já em 1961 quando de sua
elaboração e aprovação no congresso tradicionalista em Taquara –RS , seu primeiro artigo já
salientava que as entidades tradicionalistas devem auxiliar o estado na solução de seus
problemas e na conquista do bem coletivo , e a corrupção é um dos piores males que afeta a
nossa sociedade em tempos atuais , e impede o desenvolvimento econômico e social de nosso
país , e em conseqüência uma injusta distribuição de renda , especialmente aos menos
favorecidos , além de tantos outros malefícios causados à nossa nação .
Ações:
Quando os Centros de Tradições Gaúcha (CTGs) , através de suas patronagens ,
em suas atividades de rotina procuram orientar , demonstrar e salientar a importância de
termos sempre em nossas vidas um comportamento correto , adequado e digno de cidadãos
comprometidos com a sociedade e o estado , e portanto com seus atos dando exemplos
saudáveis e positivos principalmente às crianças , estão cumprindo exemplarmente sua
função social , razão maior de sua existência .
O Movimento Tradicionalista Gaúcho espalhado pelo Brasil e pelo mundo , têm a
exata dimensão de sua importância como instituição pelo papel que desempenha em busca
da preservação e manutenção dos valores éticos , morais e humanos , e que a sociedade
contemporânea exige de seus cidadãos , o que levou as nações que optaram por esse
caminho serem hoje as mais desenvolvidas social , cultural e economicamente no mundo .
Baseado em conceitos modernos de relacionamentos , pois vivemos na era digital , e
perfeitamente integrados à uma sociedade cada vez mais exigente , onde novas tecnologias
surgem a cada dia , novos produtos e serviços nos proporcionam uma melhor qualidade de
vida , e em meio a tudo isso o ser humano quer mesmo é ser feliz e dividir assa felicidade com
seu semelhante , é que o Movimento Tradicionalista Gaúcho continua identificado e inserido à
sociedade moderna , e está preparado para dar a sua colaboração aos grandes desafios da
atualidade , principalmente quando se trata da preservação de valores que são fundamentais e
caros à sociedade do Rio Grande do Sul , especialmente à sociedade tradicionalista.
JOSÉ GELSO MIOLA
VICEPRESIDENTE DE EVENTOS DO MTG RS

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Buenas e me espalho!

                Saudações Tradicionalistas!
                É com satisfação, que neste espaço proporcionado pela tecnologia, quero compartilhar com todos vários assuntos pertinentes as tradições e os hábitos dos gaúchos. Divulgar e apoiar boas ações, debater pontos de vista, enfim, tornar este recanto mais um  núcleo transmissor de valores morais e éticos de nosso povo, ajudando a formar uma conciência que à muito vem sendo a missão dos tradicionalistas.  Neste espaço, também serão compartilhados ações e hábitos diários, de todos aqueles que se acharem a vontade para comentar e publicarem os acontecimentos de sua terra, de sua entidade ou região.
                Sejam bem vindos, ao recanto onde A tradição gaúcha é para todos!